terça-feira, 17 de junho de 2008

Possibilidade Poética

Me perdoa se hoje eu não tenho versos. Se a poesia de ontem, hoje não me pertence. Perdoa o meu coração... "Fios de coração é meu coração usado e vazio "É a falta de sorte... Ninguém entende o amor que carrego pelas coisas que insisto em tecer com cada fio dele. Essa minha paixão por tudo que comove, que toca, que mexe e se mexe... Só pode estar me deixando louca. Daqui a pouco estarei subindo pelas paredes, voando de cima do telhado. Pingando feito goteira. Mas não desisto! Eu não abaixo o estandarte antes do final do cortejo. Perdoa a minha fome por aplausos. Tudo que eu quero é abastecer minha alma... Ganhar fôlego.
Quero que me perdoe se eu uso máscaras. São máscaras inocentes, eu juro. Não sofro nenhum sintoma de falsidade. É a verdade de dentro de mim, Que se transforma, e se liberta. E é vestindo a máscara que eu a expresso. Mesmo se eu não estiver de máscara, ainda sim, estarei de máscara. Perdoa se te ofendo... Se te soa aos ouvidos como agressão ética e moral. Se minhas verdades não coincidem com teus valores. Nunca foi a intenção ofender. É porque eu vibro com as diferenças... E sou fiel a qualquer tipo de liberdade. Porque a praça é publica... Embora os microfones e palanques não sejam. Mas eu não me importo. Não precisa de microfone quem sabe gritar. E quando eu falo em gritar,não preciso rasgar minha garganta... Eu grito com meu espírito, minha alma, meu corpo. E também não preciso de palanque... Porque estamos todos na mesma altura. E eu gosto mesmo é de olhar nos olhos.

Perdoa também a minha alma triste. Me disseram que tristeza era coisa de poeta. Pode ser... E pode ser que eu esteja triste porque o mundo esmaga. Porque tenho em minha mãos um outro instrumento. Eu guardo o meu talento para usar onde eu posso usá-lo. De que me serve o dinheiro, se não teria o meu pagamento? Os sorrisos, a admiração, as lágrimas emocionadas. Seria eu incompleta. Perdoe-me! Porque eu mesma tenho que me perdoar... E me perdoo! Por saber que essa é a sina de quem nasce com coração de artistae tem a honra de ser livre!

Perdão*
*Por Cintia Luando

3 comentários:

Thiago Hausen disse...

Lindo isso! texto digno de uma arista nata que se descobre e tem a liberdade de ser o que eh. eu venho sentindo muitas dessas coisas linda que vc disse.
as vezes pessoas muito proximas de mim nao entendem "o amor que carrego pelas coisas que insisto em tecer com cada fio" do meu coração. as vezes as pessoas nao entendem que essa eh a maneira de nossa alma se nutrir. essa dedicaçao que estamos tendo pelo que achamos certo, por que acabamos por sote descobrindo cedo que nascemos para aquilo, e nao queremos perder tempo, queremos existir plenamente e acabamos deixando de lado em nossas escolhas coisas importantes mais nem tanto. sei que o teatro eh o que sei fazer de melhor, nao sou to produtivo em nada quanto sou no teatro. e as vezes me decepsiono de acharmos que nosso trabalho esta emocionando mas que ao mesmo tempo existe uma burocracia julgadora e poderosa do $ que nega um trabalho nosso para uma mostra sabe-se la porque, dando qualquer desculpa esfarrapada. estou indignado porque sei que nos estamos num momento muito bom, sei que estamos emocionando aos que nos assistem e sei que temos sede de alausos por um trabalho que abastece a alma de todos que vivencam-o. Estou indignado com o SESC-Teresohpolis que mais uma vez nao nos reconhece! mas vamos responder para eles com nossa arte. "Perdoa se te ofendo... Se te soa aos ouvidos como agressão ética e moral. Se minhas verdades não coincidem com teus valores. Nunca foi a intenção ofender." mas deixa estar "Porque a praça é publica... Embora os microfones e palanques não sejam. Mas eu não me importo. Não precisa de microfone quem sabe gritar. E quando eu falo em gritar,não preciso rasgar minha garganta... EU GRITO COM MEU ESPIRITO, MINHA ALMA, MINHA GARGANTA. E também não preciso de palanque... Porque(os mambemberes) estamos todos na mesma altura. E eu gosto mesmo é de olhar nos olhos."(odeio desculpas esfarrapadas)

soh quero ver o que vem por ai na programaçao deste ano. o SESC que me aguarde.

Cintia disse...

O que me alivia,e bastante,é o fato de saber que somos independentes de qualquer instituição.Porque nosso melhor espaço é a praça pública.O público que nos recebe com carinho,é qualquer um que vai passar por ali na hora,vai parar e assistir,e vai se emocionar.Nós pesquisamos a linguagem de um teatro sem arquitetura,no entanto,somos capacitados em qualquer espaço.Aprendemos a tirar de dentro as manifestações que se fazem necessárias para um teatro vivo,improvisado,com muitas formas e conteúdos,e isso,já nos difere dos demais.Temos outros planos em mente,e não vamos parar por aqui.Vamos levar muito tapa na cara,até que a mesma face que apanha hoje,um dia seja admirada.E eu tenho FÉ,em Deus,e em nós,que tudo vai dar pé."O que é feito com amor está acima do bem e do mal"(Nietzsche)...


Hasta la victoria siempre!!!

cris borges disse...

ateatro é muito mais que uma peça de teatro,é um alimento para a alma para o corpo para o mundo.tenho a sorte de ter descoberto isto,e quero lutar para que outras tenham esta mesma sorte que eu.